Material desenvolvido pelo Estado, em parceria com a Fundação Dorina Nowill, faz parte do programa Caderno do Aluno e atenderá a mais de 37 mil alunos do Ensino Médio e Fundamental Ciclo II

Um aluno de 13 anos, da 7ª série do Ensino Fundamental, que tira boas notas, é simpático e popular na escola parece ser uma situação apenas de filmes do cinema, mas não é. Bruna Victória dos Santos, deficiente visual, é uma das estudantes-exemplo de dedicação e vontade de aprender que frequentam a escola estadual Jethro Vaz de Toledo, no Jardim Itapuã. E, para conseguir ir bem em seus estudos, Bruna tem apoio de material didático conhecido como Caderno do Aluno - Braille que é enviado pela Secretaria Estadual da Educação. “Os livros didáticos são especiais e em Braille, é o que me ajuda muito com as tarefas escolares e no meu aprendizado. Sem estes livros não conseguiria aprender muita coisa”, disse a estudante.

O material que Bruna utiliza é elaborado pela Fundação Dorina Nowill e destinado a estudantes com deficiência visual. Segundo o governo estadual, 7.300 materiais impressos foram entregues no primeiro semestre deste ano e os outros 6.400 serão distribuídos neste segundo semestre. Além do material especial, também são elaborados e distribuídos livros para os demais estudantes da rede, em parceria com o Programa São Paulo Faz Escola, onde Piracicaba deve receber, até o final do ano, aproximadamente 631.400 cadernos, que vão atender a mais de 37 mil alunos do Ensino Fundamental Ciclo II e Ensino Médio, e o investimento é superior à R$ 144 mil na cidade.

Além do material didático, Bruna tem o suporte necessário para as coisas que mais gosta de fazer que são ler e utilizar a Internet. “Adoro literatura. Leio muitos livros, entre eles um que reúne várias histórias e a que eu mais gosto é a do ‘Frederico e Catarina’, que fala de um casal que mora na fazenda. É muito engraçada”, afirmou a estudante.

Para ela, não poder enxergar não a impede de fazer amizades. “Aqui na escola, todos são muitos legais comigo. Os professores Nelson e Lindaura sempre me apoiam nos estudos; a Érica e a Tuca também. Sou muito bem tratada aqui”, disse.

Além da escola, Bruna também participa de aulas de computação, de violão e frequenta sessões com fonoaudióloga e também paquera. “Sempre estou na Avistar e lá conheci um menino que é meu paquerinha, o Caíque. Ele é de Charqueada e é muito legal. Adoro conversar com ele”, brincou.

Para a vice-diretora Rosemeire Bicudo e a coordenadora pedagógica da escola, Érica Bozada, Bruna é um exemplo. “Ela está sempre alegre e participa de todas as atividades que desenvolvemos, além de ser uma de nossas melhores alunas, com boas notas”, enfatizaram.

Fonte: Felipe Poleti / A Tribuna

Comentários (0)

Classificado 0 em 5 com base em 0 votos
Ainda não há comentários publicados aqui

Deixe seus comentários

Publicar comentário como convidado.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhe sua localização
Digite o texto apresentado na imagem abaixo